Notícia

“Tem sido estimulante escrever e enviar os artigos”

O pastor Lourenço Rega, da Coluna Observatório Batista completa, este mês, 11 anos como colunista de O Jornal Batista. Na entrevista a seguir, ele conta sobre o início, a repercussão de seus artigos e o futuro da Coluna:

 

Como surgiu o convite para ser colunista de O Jornal Batista?

 

Na primeira década dos anos 2000, eu mantinha uma coluna chamada “Observatório”, na antiga Revista “Eclésia”, com o objetivo de tratar temas atuais ao mundo evangélico no Brasil e buscar situações ou cenários que necessitavam ser destacados, apresentando propostas e alternativas de tratamento bíblico e até mesmo utilizando outras áreas do conhecimento, especialmente no campo da ética, que é a principal especialidade em que estou envolvido. Em meados dos anos 2000, a Revista encerrou suas atividades.

 

Assim, na 90ª Assembleia da Convenção Batista Brasileira (CBB), realizada na cidade de Cuiabá-MT, em janeiro de 2010, o pastor Sócrates Oliveira de Souza, diretor executivo da CBB, me apresentou a proposta de manter, em O Jornal Batista uma coluna semelhante, focalizando o mundo Batista e também o mundo afora, especialmente no cenário brasileiro.

 

O primeiro artigo teve um título inusitado: “O bonde atrapalha o trânsito”, para tratar de um assunto importantíssimo sobre a validade da existência da Convenção. Comecei com uma história em que grandes empresas, vendedoras de automóveis, para aumentar as suas vendas buscaram afirmar que o bonde atrapalhava o trânsito e o mesmo poderia estar acontecendo em nosso ambiente ao ouvir afirmativas de que se a Convenção paralisasse suas atividades nada afetaria às Igrejas locais. Busquei mostrar a importância da cooperatividade e da mobilização convencional e da necessidade em investirmos em sua eficiência, eficácia e efetividade. Recebi diversas reações positivas, também pelo título.

 

De 2010 até agora, quantos artigos foram publicados em OJB?

 

Inicialmente saía um artigo por mês, mas, logo a proposta foi escrever dois artigos. Então, a soma chega a quase 300 artigos.

 

As pessoas te procuram para repercutir os artigos?

 

Ao longo dos anos o povo batista e seus líderes me convidam para dar palestras, e assessoria especialmente no campo da educação, liderança, teologia, ética, eclesiologia prática etc., e tem sido possível conhecer este continental país quase todo, apenas não foi possível ainda dar apoio no Estado do Acre e Roraima. Um dos destaques do público batista que atendo tem sido mencionar a leitura dos artigos da coluna. Recebo e-mails, mensagens pelas redes sociais, seja para afirmar o benefício da leitura dos artigos, seja para fazer perguntas. Tem sido estimulante escrever e enviar os artigos a cada 15 dias. É algo natural.

 

 

Algum artigo ou série de artigos que mais gostou de ter produzido para OJB?

 

Pergunta difícil, pois, cada artigo é produzido como uma gestação desde a primeira ideia que surge. Em geral, um artigo é escrito inicialmente em forma de “draft”, depois é relido e até mesmo reescrito, reduzido, pois, pode ter ideias e propostas repetidas dentro do texto ou mesmo buscar a simplicidade frasal. Às vezes, um artigo precisa ser reescrito três vezes, antes de ser enviado.

 

Posso destacar a série sobre Igreja, que saiu a partir de março de 2016. Foram 15 artigos, que depois foram transformados em livro publicado pela nossa Convicção Editora com o título “A dinâmica da igreja autêntica segundo o Novo Testamento”, trazendo os princípios essenciais para a vida funcional da Igreja. Não é propriamente um livro de eclesiologia clássica, mas funcional, em que coloca o discipulado como A estratégia de Deus para a Igreja, valoriza a missão holística da Igreja, e a Igreja como uma comunidade em diversos aspectos. Escrito em linguagem acessível e que traz um roteiro de estudos em cada um de seus 16 capítulos.

 

Outra série foi sobre o abortamento, que saiu a partir de maio de 2015, com oito artigos, tratando do tema à luz da ética cristã, mas levando em conta os seus vários aspectos, tais como Direito, Psicologia, Sociologia, Medicina etc., resultado de pesquisas que já vinha desenvolvendo desde os inícios dos anos de 1980, quando iniciei a carreira de professor de Bioética, área de estudos ainda incipiente naquela época. Daí, foi apenas um passo, para representar a CBB em uma audiência pública no Supremo Tribunal Federal (STF), em uma exposição diante da Ministra Rosa Weber, no dia 06 de agosto de 2018, ocasião em que focalizei o argumento genético e embriológico na discussão para provar que, antes do direito do nascituro, precisamos defender o direito à manutenção da identidade do sujeito que surge na clivagem, isto é, na concepção, bem dentro da visão bíblica.

 

Mais recentemente, ao ser declarada a pandemia, em março de 2020, iniciei uma série de artigos sobre o tema e até rendeu uma pesquisa em nível nacional sobre como será o crente depois da volta da quarentena, que já alcançou mais de 3 mil participações e devo publicar os resultados agora no início do ano.

 

5. Qual o segredo para a “fonte não esgotar?”

 

É não esgotar de observar, como diz o nome da coluna. Olhos e ouvidos atentos na vida cotidiana, Igrejas, denominação, funcionamento convencional em nível nacional e regionais. Ouvir líderes, pastores, membros de Igrejas em suas inquietações, em sua busca por ampliar sua piedade, espiritualidade, em aplicar os valores bíblicos na vida e buscar servir melhor ao reino de Deus etc.

 

Tenho em meu celular e computador o que eu chamo de “celeiro de artigos”, em que vou anotando as observações ao longo de minhas viagens e contatos com as pessoas.

 

Um ponto importante é a escolha do título do artigo; tem de refletir o tema que será tratado, ser impactante, e, muitas vezes, vir por meio de uma pergunta em que as pessoas desejam a resposta. Mas, além disso, buscar tocar no coração do leitor, dialogar com ele. Levantar problemas, dificuldades, mas utilizar linguagem respeitosa, simples e oferecer algumas soluções.

 

Do que pretende falar na Coluna em 2021?

 

Ao terminar de apurar o resultado da pesquisa que citei, pretendo demonstrar seus resultados e caminhos para líderes e pastores conseguirem melhor adequação em atender o nosso povo na volta da quarentena.

 

Mas discutir também temas contemporâneos, especialmente do campo da Ética e Bioética, em que devo terminar uma especialização no mês de.

 

Aprofundar temas ligados à Quarta Revolução, que está cada dia mais impregnada em nossa vida trazendo inúmeras alterações nos relacionamentos e comportamento.

 

Um recado para os leitores de OJB e admiradores da Coluna Observatório Batista.

 

Tem sido um privilégio escrever para vocês e buscar estimular seu crescimento na vida e no compromisso com nosso Deus e com Sua Palavra. Estou à sua disposição pelo e-mail rega@batistas.org; aguardo suas sugestões e perguntas.

 

Estevão Júlio

Departamento de Comunicação da Convenção Batista Brasileira