Artigo

A Comunicação na terra da 102 aAssembleia da CBB

O leitor há de concordar que a tecnologia mais eficiente para promover algo de valor é a boca humana. Todos nós somos mais convencidos a comprar um bem ou serviço, a visitar um novo lugar ou a provar uma comida diferente quando convencidos por quem confiamos. Sem dúvida, as relações pessoais é o que melhor explica a capacidade de mobilização no meio Batista.

 

Por isso, a principal plataforma de divulgação das ações denominacionais continua sendo a Igreja local; os boletins, os momentos de aviso nos cultos, os quadros e murais nos corredores, as conversas informais nos Pequenos Grupos e, só então, as divulgações via WhatsApp, site, redes sociais e rádio. Em Pernambuco, temos nas lideranças das Igrejas, Organizações e Associações os principais vetores de mobilização. As mulheres são um exemplo perfeito disso.

 

Elas participam das assembleias e reuniões promovidas pelo Conselho, ouvem o programa Voz Batista de Pernambuco toda sexta-feira e reforçam as ações nas reuniões semanais da Igreja local. Se você acionar a liderança estadual, estará acionando a MCM do estado inteiro. Por isso, é vital que escolhamos bem nossas lideranças, em todos os níveis.

 

Por isso, o boca-a-boca é a principal ferramenta de Comunicação no nosso estado, depois vem a promoção do tema da cooperação e, por fim, a prestação de relatórios. O boca-a-boca acontece nas conversas informais com nossos amigos da Igreja e do PG, colegas de seminário, vizinhos de apartamento, reuniões com a liderança da Igreja local e utilização das nossas redes sociais digitais. Se queremos que as pessoas se comprometam com o trabalho estadual, elas precisam saber como e quando podem fazer isso. Sem uma liderança fiel, essa ferramenta simplesmente não funciona.

 

O tema da Cooperação é pautado com frequência no programa Voz Batista de Pernambuco. Ele é o norteador do trabalho Batista brasileiro e quando cai no esquecimento as Igrejas tendem a assumir uma postura de isolamento e abandono, comprometendo o principal objetivo convencional: expandir a obra missionária.

 

Por fim, a prestação de contas é o retorno sobre as ações que aconteceram, por fotos e testemunhos, apontando os pontos positivos, os ganhos e as melhorias necessárias. As três ações passam pelo uso estratégico das mídias digitais, observando o comportamento do nosso público e as vias mais eficazes para alcançá-lo.

 

A Comunicação da CBPE tem caminhado nessa direção. O mapeamento dos processos internos da área, a ampliação da equipe, o monitoramento dos indicadores e o contato direto com as lideranças das Igrejas, Organizações e Associações tem nos ajudado no processo de melhoria contínua da área, pensando e agindo como mordomos dos recursos que pertencem a Deus .O objetivo é levar informações úteis e verdadeiras ao público Batista brasileiro, fazendo fluir a comunicação pelos meios disponíveis e corretos e alimentar a cultura da cooperação. 

 

Paula Sales, coordenadora de Comunicação da Convenção Batista de Pernambuco; membro da Igreja Batista da Redenção, em Olinda - PE