Artigo

Lavando o rosto

Aprendi, na infância, a lavar o rosto antes de ir para a escola. Minha mãe me explicou os motivos pelos quais deveria lavar o rosto pela manhã, e um deles era para despertar e fazer a higiene no rosto. Agora estou na fase de ensinar meu filho a fazer o mesmo antes de sair de casa. Tem sido interessante esse processo de ensiná-lo algumas coisas que aprendi, mas ele sempre pergunta os motivos e quer saber qual a finalidade de tudo. Está na fase do “por que”. Essa fase exige mais, mas é interessante.

 

Jesus, em Seu ministério, combateu veementemente a hipocrisia dos líderes religiosos de Seu tempo. Os escribas e fariseus eram hábeis em viver uma espiritualidade dissimulada e hipócrita. Eles ganharam grande atenção de Jesus e nosso Senhor tentou de todas as maneiras abrir os seus olhos, a fim de que saíssem da proposta da performance religiosa, para uma piedade real que revelasse a verdadeira espiritualidade.

 

Os fariseus se portavam diante das pessoas como exemplos de devoção e zelo espiritual, mas, na realidade, era só aparência; como na linguagem de Jesus, eles eram “sepulcros caiados”, ou seja, tinham uma bela aparência mas interiormente tinham cheiro de morte (cf. Mateus 23.27).

 

Certa ocasião Jesus, ao falar de uma vida religiosa baseada na ostentação e na encenação, ensinou o anonimato da oração no quarto em vez das praças públicas, e dar a esmola em secreto sem visar a atenção do próximo. Quando Jesus fala da prática do jejum, que tem como ênfase o quebrantamento e contrição diante de Deus, eles usavam essa prática espiritual para se mostrarem como religiosos e piedosos. Jesus ensinou os fariseus a lavarem o rosto, pois se mostravam “contristados, porque desfiguram o soroso, para que aos homens pareça que jejuam” (Mateus 6.16).

 

A orientação de Cristo é parar com a encenação, querendo impressionar as pessoas, e lavar o rosto, pois o jejum é um momento entre nós e Deus. Para Jesus, o que importa é o interior e não o exterior. As pessoas veem o exterior, mas Deus nos vê por dentro, como de fato nós somos. Ele sonda as nossas motivações.

 

Enquanto ensinava meu filho a lavar o rosto e me lembrava das palavras de Jesus, recordei a frase de Martinho Lutero, que me marcou e me impactou muito. “Sempre que você lavar o rosto de manhã, lembre-se de seu batismo e a quem você pertence, vá e viva o dia de acordo”. Martinho Lutero nos chama a reflexão sobre o batismo.

 

Sabemos que o batismo bíblico é uma ordenança de Jesus, e em obediência ao nosso Senhor e como ato de demonstração pública que aceitamos o Evangelho, nós passamos pelo batismo. Vale lembrar que o batismo não salva, mas os salvos buscam o batismo para mostrar e testemunhar que morreram para o mundo e nasceram para Deus.

 

O batismo é uma ordenança de Jesus e os discípulos dEle, que passaram pelas águas do batismo, sabem como é inexplicável esse momento. Também tem um simbolismo como um “rito de passagem”, quando declaramos publicamente que somos parte do povo de Deus, e assim temos que ter uma vida que reflita que tememos e amamos a Deus Pai. Certamente, os discípulos de Jesus têm esse dia do batismo como um dia especial em suas vidas.

 

Precisamos manter vivo em nós o compromisso que assumimos quando fomos batizados, e cada vez que lavarmos o rosto pela manhã e sentirmos a água em nosso rosto, devemos nos lembrar de que somos salvos pela graça e que devemos olhar para Jesus como nosso Mediador ao Deus Pai.

 

A cada manhã somos chamados a lembrar do Evangelho de Deus disponibilizado em Jesus, nos lembrando que somos salvos pela graça e misericórdia de Deus em nos conceder o perdão de Deus. Somos lembrados a viver de maneira digna de um discípulo de Jesus, uma vida pautada pelos valores do alto (cf. Colossenses 3.1-3).

 

Quando você lavar o rosto, lembre-se que você é de Deus, lavado pelo sangue de Jesus. Lave o rosto e agradeça; vá viver mais um dia na dependência da graça e da misericórdia de Deus. Se você ainda não se batizou, obedeça a ordenança de Jesus, e se você já é batizado (a), lembre-se sempre que você entregou sua vida a Jesus.

 

Pense nisso e faça do momento de lavar o rosto pela manhã, um tempo de louvor e contrição e verá que seu testemunho será eficaz e sentirá mais a presença de Deus. Lavar o rosto não tem nada de místico, mas nos lembra que nos entregamos a Deus por meio de Jesus nosso Salvador. Lave o rosto!

 

Jeferson Cristianini pastor, colaborador de OJB

Imagem