Artigo

Mordomia do tempo

Existe uma correria à procura de cursos que ajudem as pessoas na administração do tempo. Segundo alguns do mundo corporativo, “tempo é dinheiro”. Aqueles que estão envolvidos em grandes negócios dizem que não podem perder tempo com nada que não seja para ter lucro. Se o “tempo” fosse um produto e estivesse disponível para a venda, certamente os estoques estariam com esse produto em falta. 


O tempo é igual a todos, e a forma como o administramos revela o valor que damos a essa dádiva de Deus. Salomão disse que “Deus fez tudo formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem.” (Ec 3.11)


Há, na nossa sociedade, um desejo de amplitude do tempo. Se pudéssemos, aumentaríamos o nosso tempo, e o nosso dia não teria apenas 24h. Os bancos já divulgam essa ideia de aumento do tempo. Um banco tem até o slogan que diz aos clientes que eles possuem 30 horas. Tudo em nossa época é urgente e demanda tempo. Um dos maiores desafios da nossa era é entendermos o que é urgente e o que é importante. Nem todas as coisas urgentes são importantes, mas, na maioria das vezes, elas nos sugam.


Paulo nos convoca para uma análise, um autoexame, da forma que estamos usando essa preciosidade de Deus: o tempo. Ele fala da forma como estamos vivendo, da nossa procedência. “(...) Vede, prudentemente, como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus” (Ef 5.15- 16). “Vede, prudentemente, como andais” fala da forma com estamos nos comportando como filhos de Deus. O andar prudente que Paulo propõe é um andar sábio, onde Cristo é o condutor. Paulo nos ensina a olharmos para Jesus como o padrão do uso do tempo. Paulo diz que não podemos desperdiçá-lo, pois, os dias são maus. “Dias maus” é uma metáfora para dizer que nesse mundo, onde o diabo atua, é ruim e mal.


A expressão remir é de cunho jurídico, que fala de “comprar de novo”, “readquirir”, “resgatar”, “ter o domínio novamente”, “ser novamente o dono”. Retomemos o controle do nosso tempo e vamos investi-lo de forma sábia e santa. Assumamos a nossa agenda, sejamos bons mordomos do tempo que o Senhor nos disponibiliza.



Jeferson Cristianini, pastor, colaborador de OJB