Artigo

Um nome para 2020

Tem sido um ano muito difícil para todos nós. 2020 ficará marcado em nossa memória como “o ano da pandemia”. Desemprego, redução salarial, medo de ser infectado pelo vírus e medo de perder pessoas queridas são situações constantes em nossa vida. E muitos de nós têm enfrentado a pior das dores, que é a perda de pessoas que amamos.

 

Diante de tudo isso, nós podemos olhar para a Palavra de Deus e encontrar nela palavras de conforto. Pois a Santa Palavra nos diz que mesmo em meio às provas amargas, Cristo nos garante sua doce presença (Mateus 28.20). Ele nunca se ausentou. Ele nunca se omitiu e nunca se escondeu. Entregou-se voluntariamente para morrer em nosso lugar (Gálatas 1.4).

 

Aquele que nunca esteve ausente sentiu a dor da ausência, quando, naquela cruz, tomado pelos nossos pecados, foi abandonado pelo Pai (Mateus 27.46). Jesus esteve só naquela cruz para que pudesse ser o nosso socorro bem presente por toda a eternidade. Jesus chorou naquela cruz para que pudesse secar as nossas lágrimas aqui e cessá-las quando adentrarmos no céu. Temos um Deus que nunca desampara aqueles que lhe pertencem.

 

Podemos até chamar 2020 de “o ano da pandemia”, mas podemos também olhar para este momento e chamá-lo de “o ano em que eu mais senti a presença de Deus”.

 

 

 

Edson Landi, pastor, colaborador de OJB