Artigo

Celebrando o Reino de Deus através da Teologia, Música e Ação de Graças

“Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum dos seus benefícios” (Sl 103.2).

O Salmo 103 versículo 2 é uma ação de graças muito próxima ao hino e se encaixa perfeitamente na temática do mês de novembro, quando recordamos e celebramos o mês da Teologia, Música e Ação de graças. Vamos sintetizar os temas aqui expostos.

Teologia - para entendermos melhor o sentido de Reino, se faz necessário conhecer, estudar e praticar Teologia que é, na verdade, doutrinas ou ensinos bíblicos sobre a natureza e grandeza de Deus e a Sua relação com os seres humanos. Para K. Barth não se pode pensar teologicamente, “senão tendo diante dos olhos a figura viva de Cristo”, ou seja, a cristologia deve ocupar todo o espaço na Teologia. Sintetizando: a Teologia é bíblica, pois, o seu conteúdo principal é a Bíblia; é sistemática, porque examina cada livro da Bíblia separadamente, mas procura juntar em um todo coerente o que toda a Escritura afirma sobre determinado tópico ou tema; ela deve ser elaborada no contexto da cultura humana para não se criar “aberrações teológicas”; é contemporânea e deve reconceituar verdades bíblicas atemporais de forma que sejam compreendidas no presente; deve ser prática, pois, precisa ser aplicada na vida cotidiana.

Música cristã: a música exerce e sempre exerceu fascínio; é também poderoso meio de comunicação na história da humanidade. Pode ser direcionada tanto para o bem como para o mal. Pode ser dividida em duas partes, sem falar dos gêneros: música secular e música sacra. No nosso caso, o foco é a música sacra cristã que, se bem trabalhada teologicamente, é importante ferramenta para o Reino de Deus. Louvamos ao Senhor e agradecemos pelos compositores cristãos que através dos séculos deixaram herança musical maravilhosa.

E, finalmente, temos a Ação de Graças que, no Brasil, existe através de lei e é celebrado sempre na quarta quinta- -feira de novembro, mas antes de ser lei deve ser celebração espontânea e consciente de que precisamos sempre agradecer ao Deus Criador e sustentador do universo, que pela Sua graça tem preservado a humanidade. “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum dos seus benefícios”. Louvado seja o Senhor! 

Levir Perea Merlo